Amor, sexo e muito +

Um espaço para expressão e discussão de ideias

Archive for julho 2011

Thiago Fragoso sobre cena de O Astro : “Ficar nu foi o de menos”

leave a comment »

Foto: Vicente de Paulo

Muita gente voltou no tempo ao ouvir a musica Bijuterias, na voz de João Bosco, na noite de terça-feira (12), quando entrou no ar a abertura da segunda versão de O Astro, na Rede Globo.  Mais especificamente, os telespectadores viajaram para os anos de 1977 e 1978, período que durou a novela escrita por Janete Clair.  Com Rodrigo Lombardi como Herculano Quintanilha (papel que interpretado por Francisco Cuoco na primeira vez e que voltou para dar vida a Ferragus, outro homem enigmático) e Thiago Fragoso como Márcio, antes vivido por Tony Ramos, a novela está agradando o público.

Em uma das primeiras cenas, daquelas clássicas, Márcio (Tony Ramos)  fica nu depois de uma discussão com o pai, Salomão Hayala (Dionísio Azevedo). O mesmo aconteceu na nova versão: Thiago Fragoso se despe totalmente no meio uma festa.  Em entrevista para o jornalista Fel Mendes, da revista Mymag (www.mymag.com.br), para a qual fez um editorial de moda, o ator falou, entre outras coisas, sobre a dificuldade de se fazer uma cena de nudez.

– Me preparei muito pra fazer essa cena. Ela tinha uma carga emocional muito grande, eram duas páginas de monólogo! Ficar nu foi o de menos. Nem percebi as quase cem pessoas, entre atores e figuração. Meu foco era o Salomão Hayalla. E só vi aquilo naquele momento. Foi uma catarse criativa, uma cena que vai ficar marcada na minha vida.

Anúncios

Written by cleofrancisco

julho 14, 2011 at 3:13 pm

Nem Todo Hetero Gosta de Mulheres

leave a comment »

 

No filme Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, alguns dos personagens masculinos da história realmente ODEIAM as mulheres. São indivíduos que já cruzaram a fronteira e estão no país da insanidade, transformando mulheres em vítimas de sua psicopatia.

Mas no dia a dia é possível prestar atenção aos sinais emitidos por certos homens que podem fazer nascer a suspeita de que eles não gostam de mulheres, apesar de terem namoradas e dizerem que se relacionam com o sexo feminino.

Quer um exemplo? Sabe aquele cara que fica falando indistintamente para quem quiser ouvir que já pegou a fulana e a beltrana? Esse tipo, além de não ser nada cavalheiro precisa fazer o comentário para ter outros orgasmos – os maiores – que vão acontecer quando contar a história aos amigos e àqueles nem tão amigos assim. E com detalhes minuciosos do que aconteceu entre quatro paredes.

Tem também aquele que fica de olho nas mulheres que passam por ele – qualquer uma – e sem nenhuma intenção de disfarçar fazem aquela cara típica de que estão avaliando meticulosamente as curvas da moça e todas as suas possibilidades. Tive o desprazer de cruzar algumas vezes na vida com esse tipo. Uma vez, posso quase jurar, vi um indivíduo que salivava como se estivesse vendo uma peça de picanha ao ponto enquanto dizia o que pensava ser um elogio à mulher. E era o que se pode chamar de rapaz bem educado.

Para esse homem, a mulher existe apenas para corroborar a ideia do quanto ELE é um macho maravilhoso. Nem vou citar os que agridem suas “amadas”, seja física ou psicologicamente. Sim, porque diminuir a mulher com palavras também é agressão e pode doer tanto quanto um soco. Claro que o homem em questão pode dissimular e não se mostrar para a mulher que quer conquistar. Então, a dica é prestar atenção ao jeito como ele se refere às mulheres que o rodeiam: mãe, irmãs, avós, tias. Também vale o jeito com que o moço fala da ex. As mágoas podem existir, mas não devem ser desculpa para grosserias com quem se teve intimidade. Lembre-se: você pode ser a ex dele amanhã.

Não são todos, óbvio. Claro que existem, sim, aqueles que apreciam de verdade as mulheres e desfrutam de um prazer genuíno ao lado delas. Geralmente, são aqueles que prestam atenção, observam, ouvem o que elas dizem. Demostram interesse em como nos sentimos, percebem nossas várias fases. Mas, principalmente e acima de tudo, mostram respeito por nós não só da boca para fora, mas em atitudes. Essas sempre dizem muito mais que palavras.