Amor, sexo e muito +

Um espaço para expressão e discussão de ideias

Energia sexual bem utilizada ajuda na evolução espiritual, afirma escritor

with one comment

(Foto: Arquivo pessoal) Segundo escritor, o exercício da sexualidade pode auxiliar no crescimento espiritual das pessoas

(Foto: Arquivo pessoal) Segundo escritor, o exercício da sexualidade pode auxiliar no crescimento espiritual das pessoas

O psicólogo Rodrigo Flatili é um médium que pesquisa a espiritualidade há mais de 15 anos. Atualmente,  trabalha como terapeuta metafísico e bioenergético e acredita que seja impossível ver o ser humano apenas como produto do meio em que vive. “Nossas experiências anteriores a essa vida não podem ser desprezadas. Elas são as causas de muitos de nossos problemas atuais. Chamo isso de “past life mode”. Estamos operando nesse “modo de vida passada” 90% de nosso tempo. Parece exagero, mas não é. Reagimos a esses estímulos inconscientes o tempo todo e raramente encontramos uma causa”, comenta Rodrigo que também ministra workshops espiritualistas. Ele acaba de lançar o livro O Poder Espiritual da Energia Sexual (Editora Matrix) que aborda a importância da sexualidade para evolução do espírito. “As religiões ainda pregam que sexo é pecado e que somos fruto dele. Veja bem, esse tipo de explicação não pode permanecer no inconsciente das pessoas e continuar controlando o comportamento delas. Isso ainda é um tabu muito grande. Sentir-se à vontade com a própria sexualidade deveria ser a meta de todo ser humano encarnado e até dos desencarnados, porque lá as coisas não são muito diferentes daqui. Esse livro foi escrito a pedido da espiritualidade justamente para libertar as pessoas desses padrões de bloqueio, vergonha e insatisfação pessoal. Mudança de era, mudança de consciência”. Leia abaixo outras opiniões de Rodrigo sobre esses temas.

Amorsexoemuitomais – A sexualidade pode ajudar na evolução espiritual? De que forma?

obra aborda a sexualidade sob o ponto de vista da espiritualidade

A obra aborda a sexualidade sob o ponto de vista espiritual

Rodrigo Flatili – Uma pessoa que não tem uma boa relação com a própria sexualidade não evolui. Irá reencarnar quantas vezes forem necessárias até que aprenda. Também poderá aprender em espírito, mas aqui as condições são melhores e as oportunidades muito mais vastas. Lidar seja com o excesso, seja com a falta, ou simplesmente com a energia sexual como ela se apresenta é de grande mestria. A sexualidade, em geral, causa muitos problemas para as pessoas. Não dá para separar sexo e espírito, porque somos seres espirituais e sexuais. A própria energia sexual (sabendo utilizá-la) tem um efeito poderoso no corpo espiritual, que auxilia muito nos desbloqueios dos chacras e no aumento de nossa vibração pessoal, consequentemente, impulsionam o nosso nível de consciência e evolução.

ASMM – Como trabalhar a energia sexual de forma positiva?

Rodrigo – Dispondo-se. Não tem uma fórmula mágica porque cada indivíduo tem bloqueios e dificuldades muito específicos. De maneira geral, olhar para isso conscientemente e passar a se sentir à vontade com o próprio desejo, com o próprio corpo e depois com o ato. Havendo um parceiro, confiança e entrega são fundamentais. O tesão pode ser trabalhado a partir da fantasia, mas esse já é outro estágio.

ASMM –  Que práticas são negativas quando falamos de exercitar a sexualidade?

Rodrigo – Qualquer ato que vá contra a vontade de outra pessoa, alguns tipos de perversões sexuais, porém não citarei nenhuma em específico, porque a luz é para todos e não quero julgar. Cabe a cada um sentir no próprio coração se está no caminho certo. Posso dizer que tudo o que afeta a mente da pessoa, como fixações, não é positivo. A partir do momento em que a pessoa não domina a energia sexual, existe uma perversão e, consequentemente, é negativo.

ASMM – Como as pessoas sem parceiros podem trabalhar essa energia?

Rodrigo – Explorando o próprio corpo. A masturbação é essencial no processo do autoconhecimento sexual.

ASMM –  A masturbação é uma forma legítima de exercitar a sexualidade e também evoluir espiritualmente?

Rodrigo – Sim. A masturbação, em termos energéticos, tem a mesma importância de uma relação sexual, e deve ser exercitada mesmo por quem tem um parceiro. Muitas mulheres me confidenciam que sentem mais prazer sozinhas e com seus vibradores ou outros brinquedos de adultos, do que com seus parceiros, e se sentem felizes assim, já que com seus parceiros não conseguem ter orgasmo. Explorar o próprio corpo é conhecê-lo e tornar-se íntimo dele. A meditação tanto quanto a masturbação tem o poder de trazer você para o agora. Nenhuma é melhor ou mais sagrada que a outra. Coloque amor no seu ato e ele se torna sagrado. Quando você se masturba você está trabalhando energia e isso reverbera no seu corpo espiritual tanto quanto no seu físico.

ASMM – Você não vê nenhum problema no sexo sem compromisso. Mas não é uma troca de energia? Fazer sexo casual com alguém que não se conhece não é um perigo?

Rodrigo – A banalização do sexo é ruim, mas isso não depende do tempo que você conhece alguém e sim de sua forma de agir, principalmente consigo mesmo. Pode ser ótimo ou pode ser um estrago, mas isso é um risco que a pessoa escolhe ou não correr. Pela Lei da Atração, você só atrairá o que já tem em seu campo energético, não existe erro. Os opostos nunca se atraem. Veja o exemplo da carência: uma pessoa muito carente irá atrair um abusador em virtude do padrão de falta que está sendo evidenciado no campo energético desta. O abusador também é carente, mas ele não usa isso para se vitimizar. Muitos relacionamentos amorosos podem vir a se desenvolver a partir do sexo e, hoje em dia, é mais comum que isso aconteça do que o oposto. Porém, não é mais certo ou mais errado, e sim apenas mais uma opção.

ASMM –  Ménage à trois e troca de casais são práticas que têm ganho muitos adeptos nos últimos tempos. Como você vê isso? É possível se tornar mais espiritualizado com essas práticas?

Rodrigo – Olhando pelo lado positivo, vejo isso como um ato de desapego. Mas alguém que só consegue ter prazer dessa forma deve se analisar. Creio que essas práticas servem mais para apimentar a relação do casal do que ao espírito, e não há nada de errado com isso, contanto que todos os envolvidos se sintam bem. Nem tudo precisa servir ao espírito o tempo todo. Estamos no mundo material e trazemos conosco fantasias reprimidas de muitas vidas e que em algum momento escolhemos realizá-las. Porém, acredito que possa haver amor entre grupos de pessoas e que essas práticas podem servir ao espírito. Intenção é tudo, querendo usar isso para crescer, é possível.

ASMM – Ato de desapego? Explique melhor.

Rodrigo – Ato de desapego porque dividir sexualmente o próprio parceiro com outra pessoa e ainda se sentir bem com isso é, realmente, um ato que exige muito equilíbrio interno.

ASMM – Mas incluir outras pessoas na relação sexual apenas para apimentar a relação não é colocar o amor em segundo plano e deixar de ver o sexo como forma de elevação espiritual?

Rodrigo – Sabemos que em 99% das vezes, quando as pessoas buscam praticas sexuais que envolvem outras pessoas elas não visam o crescimento espiritual. Elas buscam fugir da monotonia na qual a relação pode ter caído. Creio que para muitos casais se manterem juntos isso vem a ser necessário em virtude da necessidade de dar vida as próprias fantasias. Dentro desse ponto de vista, pode ser visto como um ato de amor. Onde entra o amor entra o espirito, mas aqui é apenas uma consequência secundária e não a motivação em si. Não é o melhor caminho para o entendimento entre os casais e nem para a elevação espiritual. Vejo isso também como uma fase apenas. Em um momento ou outro se fará necessário reavaliar a relação.

ASMM –   E quanto às pessoas que têm compulsão sexual e outros transtornos sexuais? O que leva essas pessoas a passarem por esses problemas e como podem ser resolvidos?

Rodrigo – Isso vem da repressão sexual de muitas vidas e que em algum momento eclode para que essas pessoas possam se libertar disso. Muitos foram monges e freiras, e passaram muitas vidas em mosteiros, reprimindo a própria sexualidade. Agora são obrigados a lidar com toda a energia reprimida de uma só vez. A energia, seja ela qual for, tem que fluir de maneira sábia. A sublimação de uma parte da energia seria de grande auxílio aos compulsivos sexuais, seja em um trabalho artístico ou mesmo em auxílio ao próximo, como em um trabalho de cura, o excesso de energia tem que ser conscientemente canalizado para algo construtivo. Isso ajuda significativamente em muitos transtornos de excesso e desequilíbrio.

Leia também:

Presente de Natal: mãe e filho se encontram depois de 24 anos

Mônica Buonfiglio: “Me Decepciona ver uma mulher reclamando que não é feliz porque não tem um namorado”

Mais uma história sobre Hebe Camargo

A vida íntima dos famosos

O relacionamento do homem com o pênis

Written by cleofrancisco

janeiro 28, 2013 às 10:53 am

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Reblogged this on The New Age Times and commented:
    My interview (in portuguese) to the journalist Cleo Francisco from “Amor, sexo e muito mais”.

    Rodrigo Flatili

    julho 17, 2013 at 10:14 pm


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: